fbpx
WHY AGILE IT COACH?

Acreditamos que a teconologia deve proporcionar o melhor das realaçðes humanas. Assim, divulgamos a agilidade, para um ambiente transformador e inovador, centrado no desenvolvimento das competências e mindsets dos profissionais de TI.

CONTATOS

Temos feito m… onde se deve?

Sobre lidar com críticas na agilidade e na vida.

Há 11 anos atrás, estava em uma reunião com o que muita gente chamaria de “gente grande”. Você irá entender a referência desta piada a seguir.

Em uma das soluções propostas, um dos executivos solta a seguinte expressão: “VDM”. Muita gente não entendeu (Eu também não, rs).

Um dos gerentes encheu o peito de coragem e perguntou: “O que é isso chefe?”. E ele prontamente respondeu: “Vai dar m…..” (sim, o m aqui é o que você está pensando)

Pronto, fim de estória? Não, kkkkk

Então aquele gerente me solta: “So, get this shit done!”

Quem já conhece essa expressão, deve ter entendido a falta de sentido do diálogo do gerente.

Infelizmente, em nosso país, temos a mania de traduzir frases de efeito ao pé da letra, literalmente.

E esquecemos do real significado da origem dos significados das palavras e conceitos. Da língua inglesa para a portuguesa isso é bem mais evidente.

Por isso do nosso zelo em trazer informações originais da agilidade, que aliás, são baseados em conhecimentos existentes há mais de 70 anos, da qual todos os princípios ágeis, dos Fundamentos do Scrum, do Lean, do XP, etc…, se fundamentaram.

“OK, mas o que isso tem a ver com a resposta do gerente?”.

“Get this shit done”, em sua essência, quer dizer “Vamos completar o trabalho”.

Mas lembra do “VDM” do Executivo?

O que ele estava tentando dizer era que aquela solução não atenderia o propósito do projeto.

Poderia inclusive “cag….” todo o projeto. Mas o gerente, para mostrar que era capaz de concluir qualquer trabalho, soltou o “Get this shit done!”

A preocupação dele ele fazer o trabalho apenas, sem se importar se aquilo de fato iria ajudar, ou até mesmo atingir o propósito do projeto.

De fato, aquela solução geraria mais insatisfação ainda nos usuários.

Confesso, que quando terminei de ouvir a expressão do gerente, me perguntei “Já que ele está tão preocupado em fazer m…., será que ele está fazendo m… onde se deve, pelo menos?”

Esse, na minha opinião tem sido, tem sido um dos maiores equívocos na gestão de projetos em geral, seja ágil ou tradicional.

Há muita gente preocupada em entregar, mas deixando um monte de m… pelo escritório, pelos corredores, pelos pátios, pelas salas… Menos onde se deve: No banheiro!

“E o que isso tem haver com lidar com críticas?”

Todo mundo já teve que lidar com críticas alguma vez na vida. Talvez, muitas delas, infundadas.

Com quase 20 anos de profissão, mais de 10 em gestão de projetos ágeis, vejo que tem muita gente mais preocupada em gerar críticas pejorativas do trabalho alheio, apenas para “get this shit done”.

Muitas destas pessoas se preocupam apenas em utilizar frases de efeitos, ou piadas prontas, para diminuir o propósito do projeto, ou até mesmo do seu propósito.

De fato, ainda se preocupam a apenas atender tickets, e esquecem de um dos princípios ágeis mais fundamentais: COLABORAÇÃO.

E quero te dizer hoje que muitas são nomeadas, ou autonomeadas, como agilistas, ou como coaches.

Sim, é verdade que muitos destes fazem isso apenas para inflar sua própria razão.

Alguns destes irão diminuir suas vitórias, sejam tas vitórias mais fundamentais, ou mais requintadas.

Simplesmente porque acreditam que você não fez exatamente da mesma forma que eles. Como se houvesse apenas uma verdade ou receita de bolo.

Muitos deles usarão argumentos sem fundamentos, ou piadas de mal gosto, só porque sua solução é diferente da dele!

“Mas isso não deveria mudar com a adoção ágil?”

Sim, deveria. Mas esquecemos que a aplicação do ágil é mais que adotar um processo ou pegar o certificado da moda.

Ser Ágil é mais que Adotar Ágil. Ser Ágil é em primeiro lugar, ser colaborativo, a ponto de não importar de onde veio a ideia, mas sim se a ideia atende ao propósito do projeto, de acordo com os princípios do time.

Ser Ágil tem haver com o que você faz com o seu conhecimento, independentemente de sua escola.

Ser Ágil é elevar o colega agilista há outros patamares, talvez até maiores que o seu mesmo!

Ser Ágil é ser humano. É trazer as preocupações e dificuldades de seus pares e de seus clientes à tona, para atingir melhores níveis de excelência.

 “Mas O Ágil não está aí há tanto tempo?”

Não se iluda! Dentre estes profissionais que criticam sem qualidade, ou apenas criticam para diminuir as vitórias alheias, estão aqueles que tem tanta experiência quanto alguém que acabou de sair da faculdade, como aqueles que já estão quase para se aposentar.

Mas há uma coisa em comum entre eles: Não procuram a origem em fundamentos da Agilidade, seja utilizando XP, Kanban, Scrum, Crystal, etc…

Esquecem que tudo se trata de lidar com pessoas. Que a importância de qualquer projeto começa no entendimento e compreensão das pessoas envolvidas.

“Mas como saber se estou no caminho certo?”

Pergunte se você anda a fazer m… no lugar certo, pelo menos. Kkkkkk

Desculpe, não resisti a piada infame. 😊

O que quero dizer é: Não adianta fazer o projeto (“get this shit done”), se você não o está fazendo quando e como deve ser feito.

Toda funcionalidade, todo requisito, toda user story…. , não importa como você chama, deve responder aos seguintes tópicos:

  • Porque ele está sendo feito?
  • Para que ele é feito?
  • Ele está sendo feito no momento apropriado?
  • E… está sendo feito onde é mais adequado? (Tipo o banheiro? 😉 Desculpe-me novamente)

“Mas e sobre como lidar com a crítica pejorativa?”

Se for possível responder as questões acima, então você não deve se importar.

Sim, eu sei: “Fácil falar para não se importar!”

Mas nem toda crítica deve ser absorvida. Atenção: Toda crítica pode ser ouvida, mas nem toda crítica deve ser absorvida!”

Através destas quatros questões que citei, você pode analisar se a crítica faz sentido para você, ou se é apenas um recalque de mindset ainda preso ao “Comando e Controle”.

Se tudo isso fazer sentido para você, não deixe de compartilhar essas experiências conosco.

Outras pessoas podem te ajudar nesta jornada.

Deixo o convite para compor o nosso grupo de Scrum Fundamentals, para que mais pessoas possam compreender o que é ser ágil de verdade!

Grupo Desmistificando a Agilidade Faceboook

Grupo Desmistificando a Agilidade LinkedIn

 

#desmistificandoAgilidade

 

PS: Como eu avisei na última live, deixo um check-list de implementação ágil, de acordo com os Fundamentos do Scrum.

Checklist

Espero que ele te ajude no início de qualquer projeto, seja você experiente ou iniciante no tema.

One day Or day One. You Decide.

 

Acreditamos que a tecnologia deve proporcionar o melhor das relações humanas. Assim, divulgamos a agilidade, para um ambiente transformador e inovador, centrado no desenvolvimento das competências e mindsets dos profissionais de TI.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

Privacy Preference Center

Necessary

Advertising

Analytics

Other